Concurso STM 2017 – Seleção da Banca Organizadora



  

Edital deverá ser publicado no segundo semestre de 2017. Seleção irá ofertar vagas de nível médio e superior.

Aqueles que têm interesse em obter aprovação em concurso público e trabalhar na área judiciária, podem conferir aqui uma boa notícia. Após o anúncio do Superior Tribunal Militar (STM) sobre a formação da comissão para realizar o certame, a fase seguinte é escolher a banca responsável pela organização do processo seletivo. O concurso visa prover vagas para profissionais com escolaridade de nível médio e superior. A previsão de publicação do edital é para o segundo semestre de 2017.

As oportunidades serão para os cargos de técnico judiciário, oficial de justiça e analista judiciário. Até o momento, há expectativa de 23 chances, mas esse quantitativo pode aumentar, tendo em vista o acréscimo das aposentadorias. Além disso, será formado um cadastro reserva.

A remuneração oferecida varia entre R$ 6 mil e R$ 11 mil. Para o cargo de técnico, os interessados devem possuir ensino médio concluído. Já para os demais, exige-se dos concorrentes a formação de nível superior.

No último concurso, ocorrido em 2010, a organizadora foi o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (CEBRASPE), antes conhecido como Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB).

Naquele momento, as 106 vagas foram distribuídas para os seguintes municípios: Salvador, Juiz de Fora, Manaus, Rio de Janeiro, Santa Maria, Porto Alegre, Campo Grande, São Paulo, Fortaleza, Bagé, Belém, Curitiba e Brasília, sede do STM. As inscrições custaram R$ 72 para analista e R$ 55 para técnico.





Houve oportunidades para as seguintes especialidades: engenharia civil, administração, execução de mandatos, comunicação social, engenharia elétrica, contabilidade, arquitetura, psicologia, estatística, engenharia mecânica, economia, medicina, enfermagem, biblioteconomia, análise de sistemas, arquivologia, segurança, telecomunicações e eletricidade, revisor de textos.

Além de provas objetivas com 120 questões no formato "certo e errado", foi aplicada a avaliação discursiva para o cargo de analista e o teste de aptidão física para os candidatos ao cargo de técnico judiciário – área administrativa – especialidade segurança.

Confira as disciplinas cobradas na prova objetiva: português, atualidades, informática, código de ética dos servidores militares, direito constitucional, organização da justiça militar, direito administrativo e conhecimentos específicos.

Espera-se que também haja oportunidades para as auditorias do Tribunal, situado em todos os estados do Brasil.

Melisse V.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *